JURIS, A enciclopédia jurídica informa: ao utilizar nossos serviços, você consente com nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Responsabilidade. Mais informações

Emprego dos sufixos -aria e -eria

De JURIS, A enciclopédia jurídica

juris.wiki.br

OOjs UI icon language-ltr.svg   Symbol stub class.svg

Emprego dos sufixos -aria e -eria, «há, na língua portuguesa, um sem-número de vocábulos formados pelo processo de sufixação. Ocorre que, quando se trata dos sufixos “-eria” e “-aria”, não existe muito consenso entre os estudiosos da nossa língua e, em várias situações, admite-se a existência de vocábulos grafados tanto com “-aria” quanto com “-eria”. É certo que um deles tem se consolidado como o mais usual (alguns, como “parçaria”, são formas arcaicas e desusadas), mas ambos são graficamente corretos»[1].

Exemplo

bijuteria ou bijutaria; bilheteria ou bilhetaria; engraxateria ou engraxataria; doceria ou doçaria; joalheria ou joalharia; selvageria ou selvajaria; vozeria ou vozearia; parceria ou parçaria; leiteria ou leitaria; loteria ou lotaria; lavanderia ou lavandaria; sorveteria ou sorvetaria; charcuteria ou charcutaria; pedanteria ou pedantaria; infanteria ou infantaria.

Referências

  1. BEZERRA, Rodrigo . Nova Gramática da Língua Portuguesa para Concursos. 7ª ed. São Paulo: Método, 2015. ISBN 978-85-309-6107-7. p. 143.